O que é anafilaxia e quais são suas as causas?

A anafilaxia é definida como uma reação alérgica grave resultado da exposição ao alérgeno ao qual o indivíduo é sensibilizado previamente. A reação alérgica nesse caso é do tipo imediata ou seja, é mediada por um anticorpo chamado IgE que foi produzido pelo organismo especificamente contra esse alérgeno. Quando ocorre um novo contato, essa IgE específica é liberada e ativa células e substâncias responsáveis pela reação, como per exemplo, os mastócitos e a histamina. Geralmente essa reação ocorre logo após o contato com o alérgeno culpado.

Causas mais comuns de anafilaxia:

Medicamentos: anti-inflamatórios, antibióticos, etc

Insetos: formiga, abelha e vespa

Alimentos: leite, ovo, etc

Látex

A depender da faixa etária do indivíduo, algumas causas são mais comuns. Em adultos é mais frequente que ocorra anafilaxia por um medicamento. Em crianças, os alimentos são uma causa comum, principalmente o leite de vaca. Lembrando que a reação é específica, por exemplo, a causa é um medicamento específico ou um alimento específico. A reação por látex é mais comum entre os profissionais de saúde ou pacientes que já realizaram múltiplas cirurgias, ocorrendo pela sensibilização prévia. Algumas vezes a causa da anafilaxia não é identificada.

Nem toda reação alérgica é anafilaxia

A anafilaxia é uma reação alérgica grave que preenche critérios para o envolvimento de dois órgãos ou mais após a exposição ao alérgeno em pontecial. A reação mais comum é a urticária na pele e a falta de ar. Podem ocorrer sintomas gastrointestinais como vômitos; ou sintomas de desmaio/hipotensão. 

Fatores de risco para anafilaxia e gravidade da reação

Pacientes portadores de asma ou outras doenças, principalmente se mal controladas, terão tendência a apresentar uma reação alérgica ainda mais grave. Algumas medicações para hipertensão podem dificultar o tratamento de uma reação anafilática.

Prevenção e tratamento da anafilaxia

Todo paciente sob risco de apresentar uma nova reação anafilática deve saber o que fazer caso esta ocorra, e deve ter em sua posse as medicações necessárias para o primeiro tratamento da anafilaxia, como por exemplo, a adrenalina auto injetável. Lembrando que essas medicações irão previnir uma evolução mais grave, mas não exclui o fato que o paciente deverá ligar para a ambulância e ficar em observação no hospital, pois a reação alérgica costuma ser bifásica, ou seja, podem ocorrer sintomas novamente após algumas horas. Mesmo quando ainda não se sabe a causa da anafilaxia, o tratamento permanece o mesmo, já que o mecanismo da reação é similar, independente da causa. Quando o alérgeno culpado é identificado, ou pelo menos existe alguma suspeita plausível, o ideal é a exclusão da causa para que não ocorram novos episódios. A depender do alérgeno, como no caso da alergia a insetos, a indução da tolerância é possível com a imunoterapia.

VOLTAR